X

Minha entidade! Será?

Minha entidade! Será?
Somos seus interlocutores, aparelhos, cavalos, tudo isso sim, porém donos deles, NÃO!

Algumas dúvidas sempre fizeram parte do povo de santo e sobre algumas delas escrevo agora.
 
Um termo muito comum utilizado entre o povo de santo é “A minha entidade”, será que esse termo é realmente correto? Acredito que não, afinal as entidades trabalham com a gente, é claro que a ligação delas conosco é especial, em muitos casos a entidade trabalha exclusivamente com aquele cavalo e vice versa, mas elas não trabalham só pelo próprio cavalo, a função delas é muito mais ampla e nunca saberemos todas as suas funções, não enquanto encarnados, claro.
 
Outra dúvida muito comum surge para mim através de emails que recebo, pedindo informações de certas entidades, perguntando sobre a história, ponto riscado, enfim, já explicando esse comum erro, adianto que o mesmo caboclo Pena Branca que trabalha comigo não é o mesmo que trabalha com Fulano, nem mesmo Tranca Ruas, Tronqueiras, Pedras de Fogo  e tantos outros, eles são sim entidades diferentes mas que trabalham nessas falanges.
 
Esses pequenos erros e dúvidas que cometemos podem não fazer grande diferença na pratica mas devemos também nos preocupar com o teórico, visando assim a evolução não só do espiritual mas também do intelectual e cultural. 
 

Continue lendo nossos artigos e matérias.

Quarengira, a gira da Quarentena

O Barracão realiza giras virtuais para manter a união das boas vibrações.

Encerramento de ano no Barracão

Espírito cigano dá boas-vindas a 2020

Cosme e Damião

Festa para os Erês no Barracão de Pai José de Aruanda.

© Copyright 2010 Giras de Umbanda - Todos os direitos reservados