X

 Saravá Ogum!

 Saravá Ogum!
 23 de abril é dia do Orixá Guerreiro, dia de São Jorge.

 Por Silmara Falasco

Ogum iê!

É com essa saudação, praticamente um grito de guerra que recebemos o Orixá Ogum.

Orixá guerreiro, Ogum quem forjou o ferro e inventou todas as ferramentas, por esse motivo é o Orixá que vem sempre à frente, lança em punho, espada na mão, abrindo os caminhos e cortando as demandas.

É o protetor dos agricultores, militares, de todos os motoristas, e detentor dos caminhos e estradas de ferro. 
Ogum é símbolo de vanguarda e tecnologia.

Filho mais velho de Oduduá, irmão de Exu e Oxóssi, reinou em Ifé e Irê.Valente, em suas batalhas sempre trazia ao reino muita fartura.Quando se apossou de Irê, deu a ele mesmo o título de “Rei de Irê’”, mas nunca pode usar o Adé, coroa ornada com franjas e miçangas, símbolo de realeza para os Yorubás, então passou a usar uma pequena coroa chamada Àkòró, e ficou conhecido como Ogum Aláàkóró (Ogum da Coroa Pequena).

Nos rituais de Umbanda é o primeiro Orixá a ser saudado após Exu, pois é ele, o cortador de demandas, que vem com sua espada cortando os maus fluídos e energias negativas. Deixando o caminho livre para que todos os outros Orixás possam trabalhar.

Ogum é sincretizado com São Jorge no Estado de São Paulo e com Santo Antonio na Bahia.

Ogum executa a lei. Portanto não julga. Se um inimigo cruzar seu caminho, não pense duas vezes, invoque essa grande força que o destemido guerreiro empunha suas armas e trata de mandá-lo para bem longe, deixando seu caminho sempre livre. 


 
O ARQUÉTIPO DE SEUS FILHOS

Audaciosos, independentes, líderes por natureza. Não é difícil reconhecer um filho de Ogum.

Possuem traços singulares de personalidade. Para um filho de Ogum não existem os termos: “daqui a pouco”, “amanhã”, “depois eu faço”. Para os filhos de Ogum as palavras e atitudes têm que ser usadas no tempo presente: agora, já, hoje.
São pessoas decididas e extremamente impulsivas. Geralmente agem, depois pensam.

Enquanto outros planejam, o filho de Ogum já fez. E por ser tão seguro, está sempre na liderança.

Falam no mesmo tempo que pensam, sendo considerados muitas vezes “briguentos”.

Um filho de Ogum jamais aceita ser derrotado, cai e levanta quantas vezes for preciso, são incansáveis batalhadores. Não desistem. 

Excelentes articuladores, os filhos de Ogum agem com a razão, e quase não demonstram sentimentos. São muito práticos.
Fiéis, os filhos de Ogum não toleram a traição, e, na maioria das vezes são incapazes de perdoar.
Pouco sonhadores e pés no chão, costumam acreditar no que podem ver; mas quando querem brigar por alguma coisa não há o que os faça parar.


 
Dia da semana: Terça-feira.
Saudação: Ogum ê.
Sincretismo: Em São Paulo é São Jorge – 23/04 e na Bahia é Santo Antônio – 13/06.
Cores: Vermelho (umbanda) azul marinho (candomblé)
Símbolos: Espada, lança.
Onde recebe oferendas: Nas estradas e estradas de ferro
Principais oferendas: Charuto, rosas vermelhas, suas bebidas e comidas.
Bebida: Cerveja Branca.
Elemento: Fogo.
Algumas Ervas: Espada de São Jorge, Abre caminho, Arruda, Folha de Seringueira.
Animal: Cachorro.
Comida: Feijoada com feijão fradinho, cará, inhame, carnes vermelhas.
Domínio: Caminho, estradas, tudo que é feito com ferro.
O que faz: Abre caminhos, executa a lei.
Características: Impulsivo, guerreiro, líder, intolerante.


 
 
UM ITÃ

Em Ifé, todos viviam em igualdade. Todos plantavam e caçavam. Porém suas ferramentas e armas eram frágeis, feitos com madeira ou metal mole.

Com o aumento da população em Ifé, começou a faltar comida, e então todos os Orixás se reuniram para decidir como desmatar o campo para aumentar a plantação.

Ossain foi o primeiro Orixá a tentar desmatar o campo, porém, suas frágeis ferramentas impediram seu sucesso. E assim foi com todos os Orixás.

Ogum, que conhecia o segredo do ferro, até então não havia se manifestado, e quando percebeu o fracasso dos Orixás, pegou seu facão e desmatou todo o campo.

Isso por muito tempo trouxe muita inveja aos outros Orixás pelo benefício que o ferro trazia não só a plantação, mas como também para a caça e a guerra.

Os Orixás ofereceram o reinado de Ifé para Ogum em troca do segredo do ferro. Ogum aceitou a proposta.
Os humanos também procuraram Ogum, e esse lhes ensinou o segredo da forja. Até que chegou o dia em que todos tinham sua lança de ferro.

Apesar de Rei, Ogum era um caçador.Certa ocasião saiu para caçar e passou muito tempo fora, e quando voltou estava todo sujo e maltrapilho, e então os Orixás o destituíram do reinado. Ogum se decepcionou com os Orixás.

Ogum banhou-se, vestiu-se com folhas de palmeiras desfiadas pegou suas armas e partiu.

Bem distante dali, em Irê, Ogum construiu sua casa, embaixo de uma árvore de acocô, e lá ficou.

Os humanos que nunca esqueceram que foi Ogum quem lhes ensinou o segredo do ferro, ainda hoje celebram e louvam esse grandioso Orixá guerreiro. 


 
 
UM PONTO DE OGUM

Ogum guerreiro de Umbanda,
Seu ponto veio afirmar,
Ele pede ao sol e a lua ô paranga
Para lhe ajudar.

 

Continue lendo nossos artigos e matérias.

O 5º caminho de Odí regerá 2020

Um ano muito difícil vem por aí, com muitas brigas e necessidade de PACIÊNCIA. Ano de acalmar o ímpeto de Ogum.

Lives do Axé

Uma forma de estar junto, mesmo de longe.

Olubajé 2019 no Barracão

Tradicional passagem de Obaluaê na casa de Pai José emociona centenas de participantes.

© Copyright 2010 Giras de Umbanda - Todos os direitos reservados