Hoje é 10/12/17 ,Domingo, dia de Oxalá

Quem São Os Erês Na Umbanda?

Ainda Vão Reencarnar? Saiba mais.

Por: Alexandre Falasco

Ainda Vão Reencarnar? Saiba mais.

Apesar de toda a diversidade existente na Umbanda, a Gira de Erês é, sem dúvida, uma unanimidade. Nenhum terreiro abre mão da festa das criancinhas que traz bastante alegria e doçura aos trabalhos umbandistas, principalmente nessa época do ano.
 
MAS O QUE SÃO OS ESPÍRITOS INFANTIS QUE “BAIXAM” NOS TERREIROS NA GIRA DE COSME E DAMIÃO?
 
VÃO REENCARNAR? OU SÃO ESPÍRITOS DE LUZ COMO OS DEMAIS?
 
Existem vertentes que creem serem seres que ainda estão por reencarnar, alguns acreditam serem espíritos que nem sequer encarnaram pela primeira vez e estão se preparando para isso. VALE LEMBRAR QUE RESPEITAMOS TODAS ESTAS OPINIÕES.
 
Mas baseado em Kardec (nas questões da evolução através das reencarnações para se tornar um espírito sábio e, portanto, orientador) e apenas falando do que aprendi como UMBANDISTA (já que o conceito no Candomblé é totalmente diferente) falarei daquilo que os Guias do Barracão nos ensinam.
 
O que não se pode deixar de lado ao tentar entender a Gira das Crianças é o fato de que TODAS as Entidades que incorporam na Umbanda não necessitam mais reencarnar para terminarem de cumprir suas missões, tamanho o grau de evolução que estabeleceram em TODAS as suas encarnações anteriores. É diferente com os Erês? Não no nosso modo de compreender.
 
Quando chegam a este estágio de evolução, TAMANHA A QUANTIDADE DE REENCARNAÇÕES A QUE SE SUBMETERAM, os Espíritos AGORA de Luz escolhem a vibração que melhor se adequam às suas necessidades e que mais eficazes tornarão seus trabalhos de comunicação com os seres ainda encarnados, e também sabemos que para isso, geralmente, se manifestam na forma em que viveram em uma destas suas tantas encarnações.
 
Tudo se encaixa à medida que estudamos e procuramos aceitar tudo que nos é permitido saber, até o limite desta permissão Divina, sem invenções.
 
De qualquer forma ou entendimento dos “porquês”, os Erês, ou a Linha Iorí, são a manifestação mais espontânea e singela que existe, são realmente criancinhas que com sua sinceridade nos revelam muitos caminhos e muitas verdades sobre nós mesmos em seus atendimentos, ao mesmo tempo que, nos confundem quando indagados sobre os mistérios do plano espiritual, hora dizendo que ainda vão voltar, hora dizendo que querem ser o Ogum, ou o Caboclo quando crescerem, (o que poderia nos levar a crer que estão muito próximos dos Orixás) entre tantas outras brincadeiras, COISA DE CRIANÇA, que fazem no intuito de mostrar-nos que o mais importante ali é o “conhecer a nós mesmos” antes de tentar conhecer o que ainda não é da nossa alçada.
 
Sábios. Apesar da aparência infantil, carregam a enorme experiência de tantas vidas, e nos ensinam com graça e bom humor, o quanto ainda estamos engatinhando nas coisas do além, do espiritual.
 
Texto de Pai Alexandre Falasco, trechos extraídos de seu livro UMBANDA DE BARRACÃO, Editora Ícone.
Foto: Daniele Vertuan