Hoje é 10/12/17 ,Domingo, dia de Oxalá

Iansã

Oiá, a rainha dos raios e tempestades.

"Orixá dos ventos e das tempestades, rainha dos raios, guerreira das mais temidas. Iansã é a beleza natural da mulher que abre mão da vaidade (porque pode fazer isso sem prejuízo ao seu poder de sedução) para lutar pelo que almeja".

Dia da semana: Quarta-feira.
Saudação: Eparrei Oiá!
Sincretismo: Santa Bárbara, comemorado dia 4 de dezembro.
Cores: Amarelo-ouro (Umbanda) vermelho (Candomblé).
Símbolos: Chifres de búfalo e um alfaje.
Onde recebe oferendas: Cachoeira.
Principais oferendas: Crisântemos amarelos, rosas amarelas.
Bebida: Champanhe.
Elemento: Fogo.
Algumas ervas: Aguapé (gigoga vermelha), espada de Iansã, carqueja, folhas de bambu.
Animais: Búfalo.
Comida: Acarajé.
Domínio: Ventos e raios.
Particularidade: Enfrenta os Eguns, e é guerreira.
Características: Sensual, geniosa, alegre.

Alguns Itãs

Certa vez em uma festa nenhuma das moças presentes queria dançar com Obaluayê, quando Iansã chegou e viu que ele estava sozinho, convidou-o para uma dança, sua veste erguia com o vento de Iansã e todos puderam ver seu rosto, um jovem bonito e alegre, a partir de então Obaluayê declarou que seu reino (o reino dos mortos) seria também o reino de Iansã.




Os Orixás estariam cansados de não ter acesso às folhas, tão importantes para qualquer celebração litúrgica e para muitos outros aspectos da vida material. Nesse aspecto, eram completamente dependentes de Ossãin, que reinava sozinho em seu domínio. Incitada por Xangô, Iansã abanou fortemente sua saia, provocando um terrível vento (o afefé) que arrancou todas as folhas que Ossãin tentava resguardar com o próprio corpo. A partir de então, as folhas foram repartidas e cada Orixá possui as suas próprias plantas, mas isso não retirou totalmente de Ossãin o seu poder.




Iansã é sincretizada com Santa Bárbara e é interessante a relação de ambas com o raio, pois conta a história que a santa católica teria sido condenada a morte pelo seu próprio pai, no momento em que ele levantou a espada, ela suplicou aos céus , depois de sua morte, imediatamente um raio veio e o matou, o mesmo aconteceu com outros soldados presentes.

Textos extraídos do livro:
"CARMA - AQUILO QUE DEIXAMOS DE FAZER" Autor: Pai Alexandre Falasco Todos os direitos reservados - all rights reserved